Mitos e Verdades sobre as dietas para emagrecimento rápido

Quando o assunto são as dietas para emagrecimento rápido, todo mundo sempre conhece (ou já fez) uma receita infalível para perder peso em pouco tempo e de forma “garantida”. Algumas são, tantas vezes repetidas que acabam virando regra e ninguém mais questiona se são verdadeiras ou não.

No entanto, a maioria dessas dietas para emagrecimento são baseadas em mitos que não ajudam em nada a vida de quem quer perder peso de forma saudável e definitiva. Para obter sucesso em qualquer tratamento de emagrecimento, a primeira coisa é cercar-se de informações corretas e orientações de profissionais especializados, para então, conquistar o resultado tão sonhado.

Vamos desvendar alguns mitos sobre essas dietas milagrosas e saiba como perder peso com saúde! Saiba quais são os 6 maiores mitos sobre as dietas para emagrecimento rápido que se ouvem por aí e que, na maioria das vezes, só prejudicam a sua saúde!

1 – Cortar totalmente o consumo de carboidratos

A princípio, essa orientação parece fazer sentido, afinal dentre os maiores vilões das dietas de baixas calorias estão os carboidratos simples – como o açúcar refinado e a farinha branca – que, de fato, não trazem nenhum benefício para a saúde. Entretanto, cortar os carboidratos por completo pode acabar com a dieta e com a saúde de quem a pratica. A energia que o corpo usa para viver, e que garante o bom funcionamento do cérebro e dos músculos, vem dos carboidratos. Se esse impotente macronutriente faltar, o corpo recorrerá à degradação dos músculos para obter a energia necessária para equilibrar seu funcionamento. Nesse caso, a pessoa até perde peso, mas não perde gordura, e, sim músculos. Além disso, quando alguém elimina completamente o carboidrato, tende a aumentar as quantidades de proteína animal, gordura saturada e colesterol na alimentação. Com isso, pode ficar deficiente em vitaminas e minerais. Esse hábito, no longo prazo, pode causar problemas como insuficiência renal e doenças cardíacas. Em uma dieta balanceada, o consumo de carboidratos deve corresponder de 55% a 60% das calorias ingeridas diariamente. Portanto, cortar completamente o carboidrato para emagrecer é um mito e sua prática deve ser evitada!

 

2 – Quanto menos gordura, melhor

Aqui todos tem certeza de que é a melhor opção rumo ao emagrecimento, mas, não. As gorduras também são macronutrientes importantes para a saúde, tendo papel fundamental no transporte de vitaminas e redução de colesterol. Sim, os ácidos graxos essenciais – as “gorduras boas” – são responsáveis por diminuir a quantidade de colesterol ruim no organismo. Eles são encontrados em óleos de milho e soja, em vegetais de folhas verdes, no óleo de linhaça e nos óleos de peixes marinhos. O recomendado é que uma dieta para emagrecimento tenha, no mínimo, 35% de “gordura boa” em sua composição. O que temos que ter consciência é o tipo de gordura que estamos consumindo. Substituir gorduras modificadas ou de origem animal por óleos e gorduras vegetais é sempre a escolha certa!

E aqui vai outra dica: não se deixe levar por produtos com baixo teor de gordura oferecidos no mercado. Como o alimento perde sabor quando a gordura é retirada, a indústria compensa aumentando o açúcar, sal e amido. Além disso, há uma tendência a consumir porções maiores de alimentos poucos gordurosos e com mais frequência, pois esses produtos não saciam e acabam sendo ingeridos em excesso.

6 Mitos e Verdades sobre o emagrecimento

3 – Beber muita água ajuda a emagrecer

Embora não tenha nenhuma relação com emagrecimento, hidratar o corpo é muito importante para a nossa saúde. O corpo humano é formado por 70% de água, ou seja, esse elemento é fundamental para o funcionamento de nosso organismo. Em uma dieta de emagrecimento, o consumo de água em seu estado natural ajuda a evitar outras bebidas que possam somar calorias, como os açúcares dos refrigerantes ou mesmo sucos de frutas. O fato de estar melhor hidratado, nosso intestino funcionar melhor, nossa pele fica mais bonita e nos sentimos com mais disposição. Mas, que fique claro, somente beber água não leva à perda de peso. Os quilos a mais precisam de outras atitudes para serem eliminados.

 

 4 – Comer à noite engorda

Esse mito parece estar enraizado na cultura popular. Muitas pessoas pulam o jantar ou só se alimentam de folhas, sucos ou sopas após as 18 horas com medo de engordar. Justificam o hábito dizendo que “temos menos gasto calórico enquanto estamos dormindo, portanto, devemos consumir menos”.

O excesso de peso é proveniente do balanço diário entre calorias ingeridas e calorias gastas. Não importa em que hora ela foi consumida: se são consumidas em excesso, seja de manhã, à tarde ou à noite, a pessoa ganhará peso. Se as calorias forem ingeridas abaixo da necessidade diária, mesmo que à noite, a pessoa tenderá a emagrecer. Além disso, ficar sem comer por muito tempo reduz o metabolismo basal – gasto energético em repouso -, ou seja, o corpo gasta menos energia quando se está em jejum, o que acaba por afetar o balanço diário e o resultado de todo o esforço pode ser em vão.

 

5 – Dormir bem emagrece

Embora o ato de dormir não tenha relação direta com o emagrecimento, aqui vai uma dica valiosa de verdade: Uma boa noite de sono equilibra uma série de processos químicos em nosso corpo, entre eles a liberação de serotonina, um neurotransmissor ligado ao prazer. Esse neurotransmissor também é liberado quando o corpo consome açúcar, então, se a noite for mal dormida, o corpo tende a compensar a falta de serotonina consumindo açúcar no dia seguinte. Além disso, não dormir bem interfere no humor e na produção de hormônios, podendo afetar a produção de grelina, hormônio que aumenta o apetite. Vale lembrar que pessoas que dormem pouco acabam ligando o celular ou a TV, e podem despertar a fome levando ao consumo de alimentos extras enquanto estão acordadas.

 

6 – Quem perde peso rápido, ganha peso rápido

Esse é um mito muito difundido. Estudos mostram que a chance de recuperar o peso em longo prazo é semelhante tanto para quem perde peso rápido, como para quem perde peso lentamente. Mas, é um fato que poucas pessoas conseguem manter o peso perdido em longo prazo. Quem emagrece fazendo dieta ou faz a cirurgia de redução de estômago, acredita que o problema do sobrepeso já foi resolvido, e, por isso, relaxa nos cuidados.

Entretanto, a perda de massa corporal funciona como um alerta para o corpo, que a encara como uma situação de risco, e, para se defender, luta para recuperar o peso perdido. Muitas vezes, a pessoa volta a ganhar peso com a mesma velocidade que perdeu e isso gera o que conhecemos como “efeito sanfona“.

Então, é preciso lembrar que o peso é resultado da alimentação diária, portanto, deve ser ponto de atenção para toda a vida. A mudança de hábitos e vigilância constante aumentam as chances de sucesso na manutenção do peso perdido na dieta para emagrecimento.

Todas essas dicas são importantes para o sucesso de seus resultados, porém, sempre busque orientação de profissionais de saúde da sua confiança para melhor acompanhamento.

Gostou? Então, compartilhe esse artigo com outras pessoas!

Agende sua avaliação!

Estamos aqui para ajudar nessa jornada em busca do peso ideal. Vamos começar?! Entre em contato conosco e agende a sua avaliação!
Rolar para cima